Vírus VSR – Sintomas e Tratamento da Doença

O VSR ou Vírus Sincicial Respiratório, pertence à categoria dos pneumovírus, geralmente associado a uma doença infantil, mas que pode acometer indivíduos de todas as idades.

Como o próprio nome diz, trata-se de uma doença respiratória, ocasionada por um vírus transmitido por meio de um contato simples com as secreções emitidas pelo paciente ou através do contato com objetos contaminados, já que o vírus pode resistir por até várias horas.

Os indivíduos mais vulneráveis à doença são os bebês prematuros (daí ser considerada uma doença infantil) idosos acima de 60 anos, cardíacos, portadores de problemas pulmonares graves, aqueles que fizeram transplantes, ou mesmo os que possuem dificuldades em produzir anticorpos.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, juntamente com a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), as “infecções respiratórias agudas são responsáveis por metade dos atendimentos ambulatoriais em pediatria, 75% dos casos de bronquiolite, 40% das pneumonias em crianças durante o período de maior incidência da doença, além de 0,5% a 2% dos casos de complicações por doenças respiratórias graves.

Vírus VSR Sintomas Tratamento

Principais sintomas do Vírus Sincicial Respiratório

O VSR ou Vírus Sincicial Respiratório, tem como principais alvos os brônquios e os pulmões, resultando, no primeiro caso, na chamada “bronquiolite aguda”, uma espécie de inflamação dos pequenos tecidos em forma de fios que se introduzem nos alvéolos pulmonares. E no segundo caso, resulta na ocorrência da pneumonia, geralmente em bebês prematuros, nos primeiros meses de vida.

Apesar de, em alguns casos, essa doença respiratória não apresentar sintomas, os principais, são: secreção nasal, espirros, tosse seca, febre controlada, dores de garganta e cefaleias, para os casos de crianças e adultos saudáveis, e de acordo com a faixa-etária de cada um.

No entanto, caso não seja tratado, o Vírus Sincicial Respiratório pode progredir para as vias aéreas inferiores, afetando os pulmões, bronquíolos, traqueia, resultando em uma obstrução total ou parcial dessas vias, febre alta, tosse agressiva intermitente, arroxeamento dos lábios, estreitamento dos brônquios (reconhecido por um chiado insistente), inapetência, percepção de um certo

afundamento da caixa torácica durante a inspiração, entre outros sintomas que caracterizam o agravamento do problema.

Como tratar o VSR: Vírus Sincicial Respiratório

O Vírus Sincicial Respiratório possui características bastante peculiares, como por exemplo o fato de poder permanecer em estado de incubação entre 5 e 8 dias, ser mais comum nos períodos do outono e inverno, além de ocorrências no início da primavera; sem contar que toda criança até os 3 anos de idade já entrou em contato com o vírus, porém sem desenvolver os sintomas.

Para o tratamento do VSR, deve-se realizar exames de sangue e de secreções para detectar a presença do vírus; e, detectada a ocorrência, proceder à administração de antifebris, analgésicos, bastante repouso, ingestão de pelo menos 2 litros de água por dia, inalação e limpeza da secreção à base de soro fisiológico, além de demais procedimentos que visem diminuir os sintomas.

Para os casos graves, o recomendado é a internação para que se proceda a uma ventilação mecânica (para que o indivíduo receba oxigênio de forma artificial), administração de broncodilatadores, antibióticos (caso haja agressão por bactérias), anti-inflamatórios e antivirais.

E de resto, é aguardar o pronto restabelecimento da criança ou adulto, que deverá, a partir daí, manter um controle ideal sobre a exposição a agentes patológicos, cigarros, ambientes abafados, bastante aglomerados, entre outras situações de risco.

Compartilhe isto:

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.